Make your own free website on Tripod.com

Dados Pessoais

Nome

  Benedito Maurilio Fagundes

Nome em citações bibliográficas

  FAGUNDES, Benedito M.

Sexo

masculino

Endereço Residencial

 

 

 

Endereço Acadêmico

Rua Luiz Leão, Nº 01 - CEU -  Fundação casa do estudante universitário do Paraná.

Apto 213 - CENTRO - CURITIBA PR
80030-010,  PR - Brasil.

Telefone: 41 222-4911
E-mail: bfagundess@yahoo.com.br

Rua Imaculada Conceição, 1155 - Bloco Acadêmico CTCH - Curso de Filosofia
Prado
Velho - Curitiba - PR CEP: 80.215-901
Telefone: (41) 271-2626

E-mail: bfagundess@yahoo.com.br

 

Artigo:

 

 

Tema: O que é ser cidadão?

 

Palavras-chave             : Cidadão, Governo, Política.

   Áreas do conhecimento: Antropologia Filosófica

 

O que é ser cidadão?

 

De acordo com o Dicionário Aurélio, cidadão é: “1-um indivíduo no gozo de direitos civis e políticos de um Estado, ou no desempenho de seus deveres para com estes; 2-Habitante da cidade; 3-Indivíduo, homem, sujeito.”

Nos dias de hoje, ser cidadão é ter direito a vida, liberdade, propriedade e igualdade perante a lei, ou seja, é ter direitos civis. É também participar no destino da sociedade, ter direitos políticos, votar e ser votado. Para que haja plenitude da cidadania é indispensável o respeito aos direitos político, sociais e civis. A participação do individuo na riqueza coletiva de uma nação, depende dos direitos políticos civis e sociais que também garantem a democracia. Todo cidadão tem o direito à educação, ao trabalho, ao salário justo, à saúde, e a uma velhice tranqüila. A cidadania plena está em exercer os direitos sociais, civis e políticos.

Vivemos em uma sociedade em que todos nós temos direitos a cidadania. Mais nem sempre foi assim. Nos tempos aristotélicos, por exemplo, para ser cidadão o individuo tinha que participar diretamente do governo, isto quer dizer, participar das magistraturas, das assembléias, e dos tribunais. O cidadão também tinha que votar diretamente nos assuntos posto em discussão. Na Grécia antiga, no século V a.C. o cidadão grego era apenas os homens maiores de idade e livres, o que representava apenas 10% da população. As mulheres não tinham direitos a cidadania, portanto não podiam votar e nem ser votadas.  

  Procuramos aqui o cidadão puro, sem restrições nem modificações. Aliás, pouco importa, essa é apenas uma questão de palavras. A definição do cidadão, portanto, é suscetível de maior ou menor extensão, conforme o gênero do governo. Há alguns em que o número e o poder dos juízes e dos membros da Assembléia não é ilimitado, mas restrito pela constituição. É cidadão aquele que, no país em que reside, é admitido na jurisdição e na deliberação. Comumente, o costume é dar o nome de cidadão apenas àquele que nasceu de pais cidadãos. Se participarem do poder público, serão cidadão. Sendo, portanto, o cidadão caracterizado pelo atributo do poder (pois é pela participação no poder público que o definimos).

Analisando a política de Aristóteles e fazendo uma comparação com a política no século XXI, percebemos que há  Diversas Espécies de Cidadãos. Contudo  Resta ainda uma dúvida sobre o título de cidadão. Classifica-los-emos da mesma forma? Não haveria inconvenientes? É assim que excluímos uma grande parte da sociedade. No contexto aristotélico temos os escravos que são  os excluídos. E hoje no século XXI? Quem são os excluídos?     várias espécies de constituição e de governo; há, certamente, portanto, vários tipos de cidadãos, sobretudo entre os que chamamos de súditos. “Súditas”, palavra pouco usada hoje, porém muito usada na antiguidade.  Na oligarquia, em que o bem conhecido como riqueza abre as portas para os melhores cargos, o povo miúdo não é admitido na classe dos cidadãos. Resulta de tudo isso que há várias espécies de cidadãos, mas os verdadeiros são apenas os que participam dos cargos públicos e que decidem os rumos do Estado. Os que são tratados sem nenhum respeito, não passam de excluídos da Cidade.

As Virtudes que Fazem o bom cidadão e o Homem de Bem, serão as mesmas? Por conseguinte, é a este histerese comum que deve relacionar-se a virtude do cidadão. É preciso, pois que a virtude do cidadão esteja em relação com a forma de política. Como diz Aristóteles em  sua obra a política, se existem diversas formas de governo, não é possível que a virtude do bom cidadão seja una e perfeita. É, pois, evidente que o bom cidadão pode não possuir a virtude que faz o homem de bem. Como qualquer totalidade, o Estado consiste numa multidão de partes: é a universalidade dos cidadãos.

Ser cidadão é ter direitos, porém estes  devem ser exigidos do Estado; é  cumprir deveres de modo consciente sem que estes sejam impostos pelo Estado. O  ambiente cidadão é um local qualquer onde se deve portar de acordo com as normas da sociedade e onde todos tem os mesmos direitos, são livres e iguais.

O que pensam sobre o conceito de cidadania? As pessoas não tem um conceito bem definido sobre o que é ser cidadão. Muitas entendem que é ter direitos e deveres,outras acham que é apenas ser livre para fazer o que quiser. Tem ainda algumas que falam que para ser cidadão é necessário cuidar do meio ambiente.

 

O cidadão precisa se informar e conhecer as leis de onde vive. o cidadão só está obrigado a fazer ou a não fazer alguma coisa se uma lei disser que sim.

E não se pode desobedecer a uma lei do seu país, por ignorá-la. Seria até motivo de riso se algum brasileiro furasse fila alegando não saber do que se trata...

As leis não brotam da cabeça de quem as elabora. É a sociedade que confere aos seus representantes o poder de fazê-las. E normalmente elas traduzem o ambiente, os valores, as crenças da realidade histórica em que estão contidas. Como o contexto muda, elas também. Seja por meio de outra lei, seja porque as autoridades e os cidadãos passam a interpretá-las de outra forma. Quando uma lei é feita para anular outra, dizemos que a anterior foi revogada, ou seja, deixou de valer.

É por aí. O cidadão que respeita a lei e acredita na sua importância tem moral para cobrar o respeito dos outros aos seus próprios direitos.

O Brasil é um Estado Democrático de Direito. O poder político é do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos. São eles que fazem as leis, para todos os cidadãos cumprirem, inclusive eles mesmos. Ninguém está acima da lei, da regra do jogo!

A mudança na relação entre os cidadãos e o Estado vem acontecendo ao longo dos tempos. A separação dos poderes do Estado por funções:

1) a de fazer as leis 2) a de aplicá-las,

e 3) a de resolver os conflitos...

é uma prova disso.

Por sua vez, os cidadãos têm direitos e podem se opor ao próprio Estado. E as leis podem ser mudadas por meio de novas leis.

"A justiça das penas, mais que sua severidade, é o que consagra a força das leis." (Montesquieu).

"Dura Lex, Sed Lex!  ou A lei é dura, mas é   lei" (Direito Romano)

As pessoas não tem um conceito bem definido sobre o que é ser cidadão. Muitas entendem que é ter direitos e deveres,outras acham que é apenas ser livre para fazer o que quiser. Tem ainda algumas que falam que para ser cidadão é necessário cuidar do meio ambiente.

Definições do dicionário 
 

De acordo com o Dicionário Aurélio, cidadão é: “1-um indivíduo no gozo de direitos civis e políticos de um Estado, ou no desempenho de seus deveres para com estes; 2-Habitante da cidade; 3-Indivíduo, homem, sujeito.”

 Conclusão do grupo 

Ser cidadão é ter direitos (que devem ser exigidos) e cumprir deveres (tendo consciência, não esperando assim que ele precise ser imposto).O ambiente cidadão é um local qualquer onde se deve portar de acordo com as normas da sociedade e onde todos tem os mesmos direitos, são livres e iguais.

Reflexões 

Mas será que ser cidadão é isso mesmo?

Será que nós apenas cumprimos com nossos deveres de cidadão porque estes nos são impostos? Não está faltando conscientização dos alunos?

Por outro lado, será que nós exigimos nossos direitos de cidadãos?

 
 

O comportamento dos alunos no quarteirão 

Modelo ideal que todos os colégios devem seguir:

conversa entre amigos

lanche com colegas

atravessar a rua com segurança garantida pelos funcionários da CET

relações amigáveis entre alunos e donos e funcionários de lanchonetes

relação boa entre alunos e seguranças 

 
 
 
 

Por outro lado...

Bebida vendida para menores

jogos

pedestres desrespeitando a faixa e o semáforo

jogar lixo nas ruas

pessoas pedindo esmola

 
 
 
 
 
 

brigas entre alunos

acidentes com pedestres

poluição sonora

destruição das árvores

jovens fumantes

http://www.canalkids.com.br/cidadania/genteboa

 

http://www.al.es.gov.br/images/cartilha_minas/Default.htm Cartilha

 

http://www.google.com.br/search?q=O+%C3%A9+ser+cidad%C3%A3o%3F&hl=pt-BR&lr=&ie=UTF-8&oe=UTF-8&start=10&sa=N